Implantologia

Implantodontia é o ramo da odontologia que recupera espaços edêntulos através da inserção de raízes dentárias artificiais que suportarão uma prótese de dente (coroa). Isso ocorre pela implantação de um parafuso de titânio no interior do tecido ósseo onde houve a perda do elemento dental.

Ao redor do titânio ocorre a osseointegração que é caracterizada pela formação de tecido ósseo que irá incorporar este material ao organismo. E, é extremamente importante, que o tecido ósseo mantenha-se preservado mesmo quanto o implante dentário seja submetido aos esforços mastigatórios.

A osseo integração deve-se a incapacidade do nosso organismo em detectar o titanio intraosseo; devido a suas caracteristicas bioinertes (Ao se expor ao ar, a superficie do titanio se tranforma em oxido de Ti), não acontece a formação de tecido fibroso em volta do implante, permitindo assim o crescimento osseo ao redor do mesmo, estando em contato íntimo osso e implante.

O descobridor da osseointegração foi o médico sueco PI Bränemark; ao inserir camaras de titanio na fibula de coelhos em suas experiencias , relatou certa dificuldade na hora de remove-las, ao estuda-las notou a intimidade entre osso e titânio. Hoje Bränemark reside no Brasil, mais precisamente em Bauru onde possui um centro de pesquisa em implantodontia.

Desde 1960 existiram vario tipos de implantes; porem os implantes radiculares osseointegrados foram os mais bem sucedidos com taxas de sucesso margeando os 95 % em 5 anos. Com a implantodontia são feitas desde reabilitações unitárias ate grandes reabilitações totais fixas ou removiveis.